Páginas

Total de visualizações de página

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Direitos nativos




A população indígena vive um colapso, uma obstrução de direitos que, por sua vez, existe e lhes importam não só na qualidade de seres da mata brasileira, mas como cidadãos que dividem uma mesma civilização. Pois tais empecilhos vêm ostentando o que antes ocorria desde a descoberta do Brasil. Episódio em que índio e branco viviam em uma mesma terra, porém diferenças os separavam. Pois os índios passaram a ser isentos da paz que antes compartilhavam em suas terras para serem sucumbidos por banalidades egocêntricas, sob o poder de estrangeiros, eram submetidos a cumprirem desejos que nunca lhes pertenceram, onde o direito era uma palavra inexistente para os nativos.
Viviam períodos de ignorância, pois não possuíam defesas além de armamentos para sobrevivência. Contudo, hoje conhecedores da lei, conseguem enxergar mais além, ao ponto de perceberem quando são lesados, uma vez que seus princípios são feridos, o que os fazem exigir o que todos possuem; o direito; a defesa perante a justiça. Pois a lei maior (Constituição Federal de 1988) lhes assegura os mesmos direitos perante o espaço social entre brancos sem a necessidade de submissão como outrora ocorria há 511 anos atrás.
Sobretudo, muito ainda precisa melhorar o sistema para com o respeito a um povo que tanto importa para a cultura do país, pois tem sido uma dificuldade tirar do papel um direito escrito e expô-lo a prática.
Pois até então, muitos acontecimentos ainda os preocupam, como os casos quase imbatíveis de invasões territoriais, desmatamentos de suas terras, dentre outros, em que seus movimentos e reivindicações ainda são sinônimos de sangramentos e mortes. Ou seja, mesmo em tempos em que o diálogo é considerado a melhor arma de se combater a ignorância, parece não ser a solução para evitar danos e conflitos. Contudo, mesmo com os direitos que os tornam iguais a todos os povos como prever a constituição Federal (CF): princípios de igualdade, fraternidade e liberdade, como também o princípio da isonomia, os mesmos ainda são literalmente tratados de forma secundária, o que dificulta a introdução de seus ideais perante a sociedade e proteção de suas terras.
No entanto, a fim de ressarcir o que lhes foi tirado desde o período colonial, marcado pela infiltração e domínio português nos territórios indígenas, hoje há uma minúscula inserção dos tais nos projetos sociais e planos de governo. O que de fato demonstra certa indiferença, uma vez que a minoria deve representar toda a sua raça, pois a exclusão indígena tem sido maior que sua inclusão. Sobretudo, comprovando o que se ver no dia a dia; cotas limitadas em universidades, pouquíssimos representando os governos, diminuto numero de defensores de cargos importantes no país, etc.  Porém, uma cultura que durante anos vem se evadindo, mas que ainda existe para defender suas causas tanto na mata como nos centros urbanos.
Para tanto, o preconceito, o desrespeito e a falta de garantia das práticas defensivas da lei, são fronteiras que precisam ser ultrapassadas, a fim de torná-los mais que meros povos da mata, como também integrantes e participantes de um mesmo meio social.
Pois o Brasil é considerado um país democrático e deve fazer jus a tal título. Igualando todos os povos e etnias que representam sua cultura e formam as cores de sua bandeira. 

domingo, 9 de outubro de 2011

Sem trabalho não há progresso


O trabalho é, sobretudo, um fator predominante para a vida do ser humano. O mesmo surge de diversas maneiras, com conseqüências diversificadas de acordo com a sua função, prevalecendo a sua obrigação para um padrão de vida social e dignidade moral. Pois, é de suma importância para todos possuí-los, uma vez que para viver equivale a submetê-los.
Porém, dentre essas diversificações, é impossível não relatar fatos decorrentes do mesmo. Em que milhares de pessoas sentem na pele situações de desamparo, desconforto, por falta do mesmo, ou seja, uma miséria verídica em certas regiões. Como se parte da história permanecesse mesmo após diversas mudanças e conquistas aos dias atuais. Onde pessoas eram obrigadas à mão de obra escrava e gratuita, para terem no mínimo um prato de comida sobre suas mesas, por falta de salários.  A escravidão foi vencida, porém milhares de pessoas vivem semelhanças do passado aos dias atuais. Uma vez que são sujeitos não por violência, mas por necessidade em aliar-se a trabalhos com salários minúsculos e insuficientes  para  o sustento familiar. 
No entanto, a situação parece irreversível, devido à falta de respeito e cumprimento para um direito que todos têm, porém nem todos usufruem desse direito; o de viver através do trabalho. Pois são milhares o número de pessoas desempregadas. Uns para viver trabalham no pesado, outros migram para locais diferentes há busca de melhorias e inúmeros passam  a viver desempregados ou através do trabalho informal.
Então, muitas seriam as perguntas para tais situações, como; onde está o país democrático, onde todos possuem os mesmos direitos? Pois até então muitos só tem tido deveres. Para onde vão as promessas dos candidatos, que após vencerem as eleições, esquecem da existência do povo que os elegeram?
Pois vivemos em um país em que nem todos são letrados ou magistrados, uma vez que o analfabetismo ainda é alarmante em pequenas cidades e interiores do país. Contudo, o que será dos jovens e crianças que por não terem oportunidades, por sua vez, são obrigados a encarar trabalhos precoces para viver, abrindo mão dos estudos para ajudar no sustento familiar? Para onde vão as promessas de resoluções dos problemas do povo? O que será dos povos carentes, se a má distribuição de renda só os tornam mais carentes?
Perguntas que se fazem cotidianamente, principalmente ao se tratar dos ambientes esquecidos. Onde a falta de emprego, infelizmente sede espaço a ações indesculpáveis como; roubo, tráfico de drogas, prostituição etc. É sabido que tais práticas não podem e jamais devem ser levadas como justificativas, porém a falta de emprego possui um teor de culpa, afinal de contas nem todo pai de família rouba por querer, mais alguns por necessidade e acabam se acostumando ao ponto de querer levar uma vida fácil.
Contudo, o desemprego ainda é uma grande batalha a ser reduzida, já que não se pode eliminá-lo por completo. Pois a corrupção, por sua vez, atua como uma grande barreira contra adoção de empregos, uma vez que desvios de verbas tiram o foco do trabalho municipal e a esperança de empregabilidade para os povos necessitados, aumentando, assim, o índice de desemprego.
Por isso, para o progresso da nação, é preciso haver compromisso com a mesma, encarando a realidade como ela é. Com respeito e uma boa índole, para que a esperança de muitos seja correspondida através da seriedade. Investindo, gerando trabalhos, impondo o que foi proposto para uma melhora favorável à nação.
Pois sabe-se que, o desemprego é uma batalha árdua e de difícil resolução, mas vale tentar torná-lo obsoleto, para que o índice abrangente ao mínimo diminua-se. Uma vez que, um país sem emprego, é de fato um país sem progresso.

sábado, 8 de outubro de 2011

Meados da desigualdade



Império Capital

A diferença é considerada a maior divisa entre os sistemas opositores no planeta; capitalismo e pobreza.  São batalhas existentes a longos anos, onde cada uma marcou o seu período através de muitos sofrimento e sangue derramados.  Pois, com o crescimento populacional e o avanço industrial, os acompanharam também a desigualdade, associada aos projetos de ascensão capitalista, em que vidas eram ao mesmo tempo esquecidas e desfalecidas.
Contudo, a autonomia de países desenvolvidos, ministrados por órgãos de visões de interesses econômicos, deflagrou grandes episódios de usurpações contra outras nações sem os mesmos recursos. Ou seja, defesa, “força”, capital, poder político. Entretanto, em meio aos assombros, decorrentes de mandatos monarquistas ou ”republicanos”, em que durante séculos prevaleceram à classe alta; reis, burgueses, grandes comerciantes e grandes fazendeiros que viveram a sombra do trabalho escravo e indígena. Surgiram também ações de homens corajosos que com suas vidas apostavam em princípios iluministas; liberdade, igualdade e fraternidade.
Eram, no entanto, manifestos de classes que se uniam com intenções divergentes; alguns em busca de interesses obstruídos, outros à procura de melhoras significativas, dentre as quais, a liberdade. A princípio em minorias, porém morriam os mais pobres, mas decididos a mudar a situação na qual se encontravam. Circunstâncias deploráveis, como no período dos contrabandos de escravos africanos, onde muitos morriam em plena travessia dos continentes – África, America, devido à situação precária nos navios e nas próprias colônias com falta de saneamento básico, doenças, fome, castigados por seus senhores... Tratados como animais por mais de 300 anos.  Os índios que, por sua vez, eram extorquidos e obrigados a trabalhar nas lavouras e derrubadas de madeiras. Homens que por não pertencerem às cortes ou não defenderem títulos nobres, eram forçados ao alistamento militar para morrerem em meios às batalhas de proteção ou invasão.
São ações de proporções gigantescas que perduraram por milhares de anos, advindos de decisões daqueles que agindo escrupulosamente contra a vida, se diziam os reis merecedores de adorações.  Usufruindo de todas as luxurias que o sangue e o suor de inocentes poderiam lhes oferecer. Eram projetos, feitorias, alianças etc., o que os enriqueciam, enquanto outros empobreciam ainda mais, através de grandes impostos, cobranças, arrendamentos de terras, porcentagens dos trabalhos nas minas e terras nas mãos de impérios. Oprimindo a população carente com descasos e ostentando o despotismo.
Contudo, muito ainda aconteceu, o que dava seguimento às atividades de teor destrutivo, eram guerras entre as maiores potências do planeta, onde só perdia os que nada tinham a ver com seus litígios. Como a primeira e segunda guerra mundial (1914-1918) (1939-1945) – brigas por ascensões entre países de rivalidade de mercado industrial e tecnológico. Aliando-os a outras nações e desencadeando uma verdadeira derrama de sangue de civis inocentes. Episódio em que armamentos bélicos e tecnologia nuclear eram apresentados ao mundo, causando mortes humanas, ambientais e econômicas.
Todavia sabe-se que essas linhagens de acontecimentos não tiveram um fim, pois muito ainda padece o sistema carente no planeta. Séculos se passaram, mesmo em meio a um tempo em que muitas vitórias surgiram para tornar o ser humano livre e independente. Porém, não totalmente livre de escrúpulos do dia a dia. Pois, muitos encaram guerras constantes; a fome, o sistema hilário de saúde, a decadência na segurança, o desemprego, o grande índice de chacinas, preconceito, racismo, vêem se mostrado em escala alarmante. O que pondera ainda mais os questionamentos a respeito de como será de fato o futuro. Pois, passado e presente possuem diferenças que se diferem ao tempo, contudo se assemelham em muitos outros fatores. Devido a laços que não se rompem o que infelizmente os tornam bem próximos.  
 Sobretudo, muitos manifestos, “rebeliões”, revoluções e derramamentos de sangue ocorreram para hoje sermos livres de um sistema de aprisionamento. Onde idealistas eram tratados como conspiradores, filósofos como hereges, negros como escravos, índios como animais da mata, mulheres como elos frágeis e os pobres como visíveis em quantidade, porém invisíveis em tomadas decisivas.
Sabe-se que muito se passou e alterações surgiram em decorrer do tempo, melhorando aspectos essências para a vida. No entanto, excesso demasiado, será preciso para quebrar os laços que marcam a falta de igualdade no planeta, a fim de tornar o sistema justo e igualitário para todas as classes.


     
    

Empreendimento sustentável


                                                              
O planeta possui em sua composição 97% de água salgada, e os demais 3% restantes dividem-se entre rios, lagos, lençóis subterrâneos e geleiras inacessíveis. O que resume a tamanha importância dessa sublime substância para a humanidade . Uma vez que, a mesma é responsável pelo seguro de bilhares de vidas sob o planeta, no entanto, dependendo de cuidados, pois tudo um dia pode acabar.
Contudo, muito se desperdiça cotidianamente, o que a torna ainda mais escassa, pois há uma grande incompreensão da população a esse respeito. Despejando vidas através da ignorância, sem perceberem que os principais afetados serão os próprios futuramente. Deixando um legado negativo para a geração futura que dependerá da atuação do presente, pois a falta de precaução atual os tornará os coadjuvantes da chacina desta riqueza de valor incalculável.
Contudo, a modernização e o aumento populacional vêm sucumbindo essa importância e tornando a sua escassez cada dia maior, ostentando a sua decadência. Pois ao pensar que, enquanto a tem, não há motivos para assombros, erram mortalmente. Ao deixar torneiras pingando, mangueiras regando sem necessidade, chuveiros vazando, despejando lixos nos rios, projetos presunçosos com uso de agrotóxicos em beira de rios, onde após as enchentes acabam se misturando ao mesmo, transformando o azul doce em veneno letal, etc. Destruindo uma das principais essências da vida, pois a falta de cuidados para com a mesma os cobrara um preço altíssimo no decorrer dos anos.  
Uma iminência fácil de se enxergar, pois esse ouro de valor inestimável pede socorro no presente, porém a humanidade implorará a sua existência e sabor no futuro. Sobretudo, enquanto a tempo, vale cuidar e regrar para usá-la a seus favores, através de técnicas sustentáveis no intuito de evitar o desperdício. Fechando torneiras, diminuindo o tempo do banho, recapitulando a água que já foi usada para reaplicá-las em outras situações, criando sistemas de capitação de água da chuva, não a poluindo, dentre outras.
Contudo, valorizando tamanho tesouro, pois muitos países e cidades vivem secas diárias; uns esperam chuvas que não vêem, outros migram ao seu encontro e alguns morrem de doenças decorrentes do compartilhamento de águas sujas com animais por não terem como pagar por ela. Enquanto, muitos padecem e não a têm, milhares a desperdiçam todos os dias agindo erradamente e não percebem.
Sobretudo, a visão de futuro tem que ultrapassar a cegueira do presente, a fim de proporcionar melhoras no sistema de água e utilidade da mesma, usufruindo de um papel sustentável para futuras gerações.



sábado, 13 de agosto de 2011

Quebrando Paradigmas



Bandeira Feminina

Dentre inúmeras conquistas ocorridas na era Vargas por entre os períodos de 1930/1945, houve uma das quais marcaria para sempre a história humanitária do gênero em nosso país; o direito do voto feminino. Naquele instante surgia um avanço ético-revolucionário em pró dos direitos e deveres entre homens/mulheres. Pois, o mesmo outrora era cabível e de responsabilidade somente masculina.
Contudo, através do decreto de um homem pressionado por revoltas e movimentos feministas, as fronteiras que nunca haviam sido ultrapassadas por governos anteriores foram rompidas. Episódio que trouxe discussões entre oposições, pois nem todos possuíam a “mente central de Vargas”, ou seja, uma mente que buscava igualdade entre os ideais, em vez do machismo que prevalecia há muitos anos. Entretanto, o fato foi uma grande vitória iniciada, pois muito necessitava o país da inserção feminina em suas decisões políticas/sociais.
Sobretudo, o processo de expansão do espaço feminino foi crescendo paulatinamente, pois aquela figura que em tempos diferentes não tinha voz nem vez, passou a mostrar o quanto de conteúdo possuía em sua bagagem antes oculta. Entretanto, de lá para cá, muitas coisas aconteceram; a mesma só tem ganhado forças extraordinárias, pois a mulher sempre quis mais, e merecidamente conseguia. Prova de tudo isso é o que hoje se vê com facilidade; são engenheiras, médicas, sociólogas, psicólogas, empresárias, militares, professoras, jogadoras de futebol, pedreiras, feirantes, até presidenciando o país elas estão, etc. A antiga dona de casa que só cuidava dos filhos, trabalhava nas lavouras, indústrias, enfim. Hoje são mais do que isso, pois elas adquiriram o direito de cidadãs e ganharam o seu espaço dentre a sociedade e o mercado.
Fato que contribuiu de forma predominante, pois a má distribuição de renda no país só aumentaria a miséria numa sociedade em que somente homens possuíssem direitos e deveres. Contudo, esse quadro alterou para melhor a vida relacional entre homens e mulheres, uma vez que a saúde, educação, segurança e custeio familiar passaram a ser um trabalho coletivo. Pois, o progresso feminino é amplo, e aumenta a cada dia. Uma vez que a mesma já não vive sob a sombra masculina, ou seja, já não dependem do homem para sobreviver. Pois ganharam a sua independência “liberdade” perante a sociedade e o mundo.
Sobretudo, substituindo o que antes considerado frágil, por forte, quebrando algemas de preconceitos a todo instante. Mesmo sabendo que ainda são notáveis certas diferenças, onde salários entre homens e mulheres se diferem devido ao gênero. Entretanto, nada poderá tardá-las, seja em mundos antigos ou modernos, elas continuarão a ultrapassar os obstáculos e prevalecerão.

“O mundo julga pelas aparências e quase sempre se engana” – João XXIII


sábado, 2 de julho de 2011

Bullyng


Lacunas depreciativas

Um grande perigo vêm se alastrando e destruindo milhares de vidas jovens na sociedade; o bullyng. Em verdade, o seu fim, é aterrorizante, uma vez que sua difusão causa espantos às vezes irreversíveis, pois muitos casos de bullyng acontecem sem nenhum tipo de retroação. Desfazendo de vidas sem nenhum pudor, onde vários fatores levam muitos jovens a tomarem decisões errôneas e precipitadas a respeito da vida; suas e alheias.
Contudo, a palavra bullyng é definida como tipos característicos de atos de violências físicas e psicológicas de modo intencional e repentino. Com a finalidade de causar marcas inapagáveis na vida dos jovens, pois, muitos as levam consigo a muitos anos, vivendo com modos diferentes de jovens considerados “normais”. Devido à opressão, o medo, a falta de relação com outras pessoas, o isolamento, a separação para com o meio social, sobretudo, subsistindo-os sob “mundos separados”.
No entanto, fatos contribuem para com esse perigo, no qual mesmo através de tratamentos psicológicos ainda têm sido um devaneio quase incontrolável. Uma vez que é considerado um problema tanto social como de saúde pública difícil de lidar. Pois é existente em quase todos os lugares; trabalho, escola, faculdade, relacionamentos, ou seja, uma diversidade que exige esforços coletivos para ser tratado.
Portanto, muitos após anos seguidos de opressão criaram situações no qual a própria vida tornou-se o centro de ações radicais. Para tanto, o medo já não era o seu maior inimigo, pois a convivência com o mesmo os torna frios e cautelosos ao ponto de agirem erradamente contra a própria vida. Contudo, através de atos escrupulosos, criam protestos de formas inadequadas. Deixando uma ruptura ainda maior na história desse triste litígio.
Pois quando crianças aderiram problemas advindos de persuasões, violências, intimidações, críticas, assédios, falta de respeito, etc. Como um caso extremo de assédio escolar no pátio da escola em que um aluno do oitavo ano chamado Curtis Taylor, numa escola secundária em Lowa, Estados Unidos, que foi vítima de assédio escolar contínuo por três anos. Tudo isso acabou por levá-lo ao suicídio em 21de Março 1993. Como; o caso recente do jovem de Realengo no Rio de Janeiro que após anos vivendo sob represálias agiu de forma dolorosa e impiedosa, destruindo não só a própria vida como a de muitos que nada tinham a ver com suas faltas.
No entanto, alguns especialistas em "bullies" denominam essas reações extremas de "bullycídio". No qual, jovens dão fim a própria vida, por falta de forças, coragem para continuar a vida em pensar que tudo conspira contra si, ou simplesmente uma forma de protesto, a fim de chamar a atenção do mundo.
Entretanto, é preciso que haja conscientizações a respeito desse perigo, a fim de torná-lo irrealizável. Correspondendo em coletividade, respeitando as diferenças alheias, sem quebrar laços relacionais, físicos e psicológicos. Cedendo espaço para a igualdade mútua, que é um direito de todos. Acompanhar a criação dos filhos; na educação, na internet em comunidades e sites de relacionamentos, na saúde tanto física como psíquica, ou seja, no meio em que estão inseridos.
Para que esse problema que tanto tem algemado muitos jovens que sofrem com ações não só passadas, como atuais no dia a dia torne-se vistoriado e tratado nos locais onde mais acontece. Pois muitos não sabem, mas o possuem abaixo de seus tetos, ou são as próprias vítimas desse litígio, porém ainda não diagnosticado. Quanto mais rápido a descoberta, melhor o tratamento.

sábado, 11 de junho de 2011

Energia em contradição





 Perigo iminente

O ano de 2011 iniciou-se sob um trágico acontecimento que pôs o mundo inteiro em transe. Onde uma devastação ocorria na cidade de Fukushima no Japão, decorrente de um forte abalo sísmico seguido de um maremoto, cujos mesmos, foram os responsáveis não só por a maior parte das tragédias ocorridas no país, como os coadjuvantes do perigo iminente que estava por vir; a radioatividade liberada pelos reatores das usinas nucleares.
O que trouxe assombros imediatos aos habitantes do país, pois grande era a proporção de energia radioativa que se propagava ao ar, contaminado o ambiente, de forma horripilante. Fato que relembrava outro parecido que ocorreu em Chernobyl na Ucrânia no dia 26 de Abril de 1986, quando problemas nos reatores das usinas nucleares, liberaram grande radiação em massa, ao ponto de sua contaminação ser considerada 400 vezes maior que a bomba que explodiu na cidade de Hiroshima no próprio Japão. Episódio que antes considerado o maior desastre nuclear já surgido, pois grande foi a alteração em diversos setores como; ambientais, econômicos, culturais e humanos.
Contudo, vários outros países foram vítimas passivas da ação da nuvem radioativa encaminhada da Ucrânia, como; União Soviética, Reino Unido, etc. Acionando assim, um alerta mundial sob tamanha contaminação e perigo inefável, sobretudo, oriundos dessa energia não-renovável, o que ponderou ainda mais os questionamentos e dúvidas a respeito do seu uso no planeta.
Uma vez que grande têm sido a sua importância em diversas áreas como; na medicina que já usufrui de tecnologia moderna por meio do uso dessa energia, através de máquinas que ajudam no tratamento e diagnóstico de pacientes; quimioterapias, tomografias, dentre outros. No entanto, o manuseio incorreto, em dosagens erradas pode levar um ser a diversos problemas de saúde como; respiratórios, cardíacos, intestinais, como também a óbito.  
Contudo, a sua eficácia a torna uma arma poderosa, porém perigosa em uso descontrolado.  Diferenciando-a de muitas outras, pois quando em desastre, sua ação é assustadora e quase irremediável, ao ponto de desequilibrar totalmente cidades, estados ou países. Uma vez que não há uma preparação nem o conhecimento por parte daqueles a quem ela faz vítimas – a população.
Por isso, ao se tratar do termo energia, é bem cabível pensar em hipóteses favoráveis a vida em vez da dor e o sofrimento. Pois diversas outras fontes podem atuar em pró de uma garantia de qualidade e melhor segurabilidade humana e ambiental, como algumas renováveis; eólica, solar, geotérmica ou maremotriz.
 

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Picadeiro da Morte



Vêem se presenciando um colapso nos serviços de saúde pública no Brasil, o descaso para com os cidadãos torna-se hilário. A percepção de desgraça ofusca a esperança de se viver, pois a presença de mortes e mais mortes é constante a cada dia nesse picadeiro da morte. Esse, serviço público, preceito fundamental à dignidade da pessoa humana não é priorizado por governo e governantes. É visto como preceito secundário às necessidades humanas. Contudo, deveria ser prioridade para uma melhor condição de vida. Pergunto-me “até quando a parcimônia dos responsáveis pela administração pública os levará a ficar com os olhos vendados a tal situação”?Será necessário a morte de um ínclito personagem político a mercê de tal serviço prestado pelo Estado?
Em verdade, o serviço de saúde publica é um direito de relevância imensurável. Porém, é desrespeitado demasiadamente. Este, que é primordialmente direito de todos se estabelece de forma desestruturada, desorganizada e falha. O que evidencia o que esta sendo dito e clareia os fatos, é a presença corriqueira de mortes em hospitais públicos por falta de aparatos necessários para manutenção de vidas. Pessoas são colocadas em corredores por falta de leito, muitas vezes ao chão por falta de macas, formando assim prateleiras de “homens”. Pode-se até intitular tal situação como: ‘A ESPERA DE UM MILAGRE’, pois só um milagre para tirá-los dessa situação oriunda em conseqüência do desrespeito à dignidade humana. A falta de medicamentos é outro ponto forte que norteia a desgraça desse serviço gratuito, todavia oneroso à vida. Falta médico, estrutura hospitalares e o principal, INVESTIMENTO.
Entretanto, o ciclo contemporâneo da vida continua. Pessoas morrem, morrem e morrem, devido a essa situação incomoda aos olhos dos necessitados e, visto como processo de desenvolvimento da saúde pelos órgão governamentais. Estes, declamam que é um processo paulatino e, que ha esperança de estimativas melhores para o Sistema único de Saúde. Esse posicionamento já é esperado por parte do ESTADO, sempre, defendendo-se com as tais metas de desenvolvimento sócio-cultural, político, econômico e de saúde pública.  Vê-se, que, Este, que deve ser responsável pelo desenvolvimento das políticas publicas não posiciona-se de modo a solucionar tal problema social.
Um direito essencial à vida, positivado na Lei máxima do Estado Brasileiro, não é um princípio a priori, é na verdade uma vergonha por tamanho descaso com tal preceito de necessidade de todos.  Tamanha desgraça só será remediada quando a administração pública perceber que saúde é um primórdio essencial para o desenvolvimento cultural, econômico, social e humano. Bem como característica de um Estado desenvolvido. 
  
                                                                                                                              Mateus .P.Cruz

terça-feira, 31 de maio de 2011

Evolução Tecnológica


                                                                  Contribuição incontrolada

A tecnologia vem evoluindo de maneira incomparável no planeta. Pois, sua maior característica é crescer e abranger todos os setores existentes das nações. Tornando-a cada dia a maior concorrente de todos os tempos, uma vez que a mesma tem usufruído de papeis quase absolutos na vida do ser humano. Ocupando um espaço difícil de ser invadido por outra área que se possa imaginar, pois a mesma esta presente a todos os lados e lugares.
Sobretudo, tornado a vida do ser humano mais fácil de ser administrada, pois os mesmos se acomodam ao fato desse desfruto vicioso. Uma vez que a invenção se responsabiliza por atos que outrora era de seus feitios. Contudo, à base dessa elevação cibernética, o mundo se encaminha a um patamar onde é preciso acompanhá-la para sobreviver, pois a própria tem mostrado ao longo dos séculos o porquê de sua contribuição na vida humana.
Períodos de marcos nos países desenvolvidos e subdesenvolvidos como no caso de Roma que já produzia seus armamentos como espadas, lanças e as Neurobalísticas; a incrementação do telescópio por Galileu Galilei para o estudo das estrelas e os planetas; Portugal com seus investimentos em melhores navegações marítimas (Escola de Sagres); a Inglaterra que foi uma das pioneiras no transporte de maquinufaturas para o território brasileiro quando ocupado pelos portugueses no período colonial; os Estados unidos, que enriquecia em maiores proporções através da venda de armamentos bélicos e  modernos,  no período da 1ª e 2ª guerra mundial, o que preconizou indiretamente em evolução técnico-científico para a época.
Isto é, industrialização e a tecnologia se ampliam de modo assustador, inovando, renovando e evoluindo a todo instante, disputando o espaço somente consigo mesma. Como no caso dos computadores que, outrora, eram máquinas gigantescas usadas no período das guerras, hoje tornaram-se máquinas muito mais poderosas e miniaturalizadas ao ponto de serem carregadas para todos os lugares. Os aviões que se tornaram maiores e mais seguros; os carros que ganham o mercado em termos de conforto e tecnologia, dentre muitos outros, destacando uma das maiores invenções ocorridas em todos os tempos – a internet; que através de um clic é possível interligar o homem e o mundo dentro da rede, deslocando-o de um trecho a outro em frações de milissegundos e o informando sob todos os acontecimentos no planeta.
Contudo, a tecnologia é dona de poderes miraculosos que se solidificam a vida dos seres humanos, tornando-os seus aliados. Pois há sem via das dúvidas uma grande necessidade em aderir esses apetrechos e dar seguimento a essa modernização. Sobretudo, vivendo e contribuindo para com um  planeta rico em informações, porém pobre em saúde. Esquecendo-os que a vida precisa continuar de modo a não viver sob uma escravidão tecnológica, pois a saúde de muitos pagaram um preço alto por ocupá-la por inteiro em suas vidas. Uma vez que a falta de cuidados emocionais, psicológicos, relacionais, familiares, físicos cederam de vez aos caprichos dessa epidemia, transformando-os em meros loucos, doentes e problemáticos.
Portanto, para viver sob a evolução em um mundo cibernético, é preciso tomar certos cuidados através de limites traçados, para contribuir não só em termos tecnológicos, como também em saúde. 

"Ontem o homem corria o risco de ser escravo, amanhã de ser um robô" - Eric Troom

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Desemprego



Será que a preparação é o suficiente?

Conhecido como um dos principais fatores responsáveis por grande parte dos sofrimentos em dadas nações; o desemprego se eleva ao ponto de desanimar a muitos. Uma vez que o seu crescimento distancia a cada dia muitos de conseguirem o que tanto sonham; trabalhar em pró de suas necessidades para viver.
A nação, por sua vez, sofre de maneira triste ao ver que as dificuldades aumentam de forma agressiva para os tais que padecem dessa necessidade. Pois milhares vivem na miséria por falta do mesmo. No entanto, o país através da política, costuma comemorar índices de crescimentos de empregos em estatísticas comparativas aos anos anteriores. Porém, mesmo com o aumento das indústrias, setores da construção civil, empresas tecnológicas, entre outros. É sabido que os tais são importantes para o desenvolvimento do trabalho, no entanto, é reconhecido que o mercado de trabalho é competitivo e exige ao mínimo a profissionalização de seus procuradores. Pois para assumirem tais postos precisa-se ser conhecedor das funções.
Em verdade isso é muito importante para a expansão profissional através de mão de obra qualificada, sobretudo, a viver sob disputas a uma vaga no mercado de trabalho que, por sua vez, é muito competitivo. Uma vez que, jovens disputam essa batalha com senhores desempregados facilitando assim o que seria o primeiro emprego para uns, enquanto para outros uma luta a busca da sobrevivência de suas criações. Pois, muitas empresas hoje em dia não só exigem uma especialização, mas também apostam na idade – no futuro do país através de seus jovens. Ou seja, não obstante, o pai de família precisa ultrapassar mais essa barreira; a barreira da juventude.
Portanto, é de suma importância que os jovens atuem no mercado renovando e inovando, pois as necessidades de empregabilidade se direcionam a todos independente das idades. Pois cursos federais são oferecidos a cidades com números de habitantes proporcionais à sua estrutura. Mas onde mais há profissionais, maior a concorrência no mercado de trabalho, no entanto, assim é o patamar da vida; viver em meio as disputas, pois muitos são os desempregados que procuram a todo instante uma vaga e não a encontram mesmo com suas formações profissionais as dificuldades são seus maiores obstáculos.
Pois como se não bastassem os resultados negativos de dias corridos, ainda há uma das maiores barreiras que por toda vida ocorreu e jamais deixará de ocorrer, que são os chamados apadrinhamentos, nepotismos, amizades etc. Que são responsáveis por grande parte dos esperdícios de profissionais que atuariam no mercado através do conhecimento técnico, em vez da amizade ou preferência política para outrem que nada conhece a respeito da função a qual foi destinado. Porém é da família ou amigo!
  Contudo, mesmo sabendo das disputas no mercado, essas são estatísticas sob áreas que possuem ao mínimo o direito de muitos conseguirem uma profissão. Mas, e aqueles setores mais carentes considerados praticamente como esquecidos, onde muitos passam grandes necessidades de sustento, sem terem nem mesmo o que comer como; mães que colocam seus filhos para dormirem todos os dias mais cedo a fim de lhes enganarem o estômago; crianças que passam meia parte dos dias na escola não por estarem interessados em conhecimentos, mas em um minúsculo prato de comida, que por sua vez, não é o bastante para manterem suas forças em dias. Isso sem contar com os vários aspectos existentes e formadores da miséria em vários trechos existentes.
Pois portas não se abrem, políticas enriquecidas não atuam como deveriam através da obrigação que têm, tornando esse quadro mais absurdo do que já é. Entretanto, muitos enriquecem, enquanto outros padecem por um simples prato de comida. 
Como pode viver as crianças de uma nação que não tem condições nem de se alimentarem, quanto mais de estudarem?Infelizmente nem todos conseguem virar grandes jogadores de futebol.
Contudo, há quem consiga através da coragem, mesmo em meio às dificuldades de abrirem seus próprios negócios. Porém, nem sempre isso poderá garanti-los o futuro, pois sabe-se que para o andamento de um empreendimento é preciso ir além da coragem, mas possuir modos de investimentos para sobreviver aos altos preços de mercadorias ou os absurdos juros adjuntos aos empréstimos e financiamentos. Isso quando consegue-se alguma coisa, pois tudo na vida é um risco; há quem ganhe, como também quem perca mais o que antes possuía.
Sobretudo, a informalidade aumenta ainda mais, impedindo milhares de contribuírem aos órgãos do governo como (INSS), no que seria a garantia de uma futura aposentadoria, mesmo que pouca, porém, uma aposentadoria. E vivem todos os dias tentando, mas sem saberem se o amanhar lhes será propício ou não. Preocupados, estressados, adquirindo problemas financeiros, psicológicos, emocionais e até relacionais, uma vez que as contas chegam, porém o dinheiro não aparece. Vivendo todos os dias sob o princípio da dúvida.
Portanto, é preciso que a conscientização seja  verídica por grande parte da nação, e que a atuação vá além das palavras, pois muitos precisam não só se especializarem para aderirem os conhecimentos necessários para buscar uma vaga no mercado de trabalho, mas também das ações dos que as oferecem em troca de “algo”. Pois nada vem de graça ou do acaso, nessa vida tudo tem o seu preço.  
Se muitos “príncipes” que esbanjam riquezas vivessem tão-somente um dia de “plebeu” na falta de luxo, ao lado da verdadeira miséria. Saberia que a mesma vai bem mais além da simples idéia de pensar que a conhece. Mas sim, a de entendê-la na alma. Poís na riqueza todos riam, mas e na miséria? Seria fácil encontrar risos?  


quarta-feira, 11 de maio de 2011

Medo do medo




Por que temos medo? Que sentimento é esse? 


Sentimento de opressão, pois do tal forma-se uma sociedade retrancada , oprimida e amedrontada. Uma vez que milhares vivem a vida sob a guarda desse sentimento tornando-os seus aliados. Como se um batalhão recrutasse todos os dias uma série de indivíduos para o seu posto. O próprio não se importa em como será sua atuação em dada situação, ele simplesmente atua. Crescendo em formas, proporções, aumentando sua força e seu espaço dentro de cada um.
Surgindo em contraponto ao proceder humano com meios propícios a sua aparição. Sobretudo, tragando para si os seus submissos. Uma vez que casos diários tornam um ser oprimido e cada vez mais amedrontado. Tais casos são fatores que atuam em paradoxo com a vida, pois infelizmente fazem parte da mesma. Pois todos possuem em si o medo, seja qual o seu tipo. Exemplo; medo do escuro, medo de filmes de terror, medo de altura, medo de água, medo de fogo, medo de carros, medo de motos, medo de bicicletas, medo de guerras, medo das desigualdades, medo da pobreza, medo das misérias, medo da fome, medo de perder o emprego, medo de não pagar suas contas, medo de preconceitos, medo do racismo, medo da morte, medo de roubos, medo da falta de segurança, medo de doenças, medo de se apaixonar, medo de ficar só, medo de terminar um relacionamento, medo de perder alguém,  medo do passado, medo do presente, medo do futuro, medo de brigas na família, enfim. Poderiam ser citados enormes listas sobre tipos de medo, afinal de contas são muitos existentes.
No entanto, o próprio é atualizado a todo o momento sem mover-se. Porém, somente aguardando os resultados dos seus associados, que atuam em pró de seu crescimento por conta própria. Retribuindo-lhe com o que mais sabem fazer; terem medo. Enquanto o mesmo que, por sua vez, trata somente de desenvolver uma maior ruptura em cada um, com o propósito de prendê-los com maior força e impacto. Pois o tal sabe que se der espaço para conflitos contra si ficará mais difícil de segurar os que lutam contra o ele.
Pois, os que são presos ao próprio, são os que se entregam sem a menor tentativa de fuga dessa barreira obscura. Pensando assim que tudo acabou e nada mais poderão fazer para se livrarem do tal. Uma vez que muitos; dormindo ou acordados, ainda vivem acorrentados ao medo e a maioria das vezes não percebem a atuação traiçoeira do mesmo. Ou simplesmente, pensam estarem livres do tal, no entanto, continuam sendo seus aliados.
Contudo, o que se sabe é que muitos conseguem fugir das suas garras, porém, milhares ainda permanecem presos e agregados a ele. No entanto, a luta não acaba nem para os que tentam se safar como também para ele próprio que por toda a eternidade atuou. E a sua força é gigantesca, porém, não insuperável, pois grandes exemplos nos surgiram, sobretudo, é hora de cada um ser o  seu próprio exemplo. Pois no fundo todos temos medo, independente de que, mas sabemos que temos. Porém não significa vivermos entregues ao tal a ponto de sermos seus eternos aliados.
Pois as opressões sempre existiram e jamais deixaram de existir, porém, elas fazem parte do próprio sistema, no entanto, devemos lutar ao ponto de ultrapasar essa barreira através da coragem. Porque mesmo que para alguns essa característica seja pouca, no fundo todos a possuem.
Portanto, o medo sempre existirá de forma abrangente de geração à geração. No entanto, nunca será invensível quando decidir-mos encará-lo e fugir-mos das suas algemas.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Confiança duvidosa



Confiar desconfiando

Sentimento singular, dor única, no qual um ser vive. Uma vez que o tal foi mais uma das vítimas que a mesma tem de costume fazer. Em verdade, sua característica é tão forte que é capaz de desmoronar uma estrutura sentimental de forma letal. Pois, a maioria das vezes a mesma atua de forma oculta, sobretudo, avançando em pró de um resultado desfavorável à sua vítima. Famosa, no entanto, humilde em dividir a sua fama com o cotidiano humano; a traição.
O mundo é repleto e infelizmente se completa com a mesma. Uma vez que o seu surgimento faz parte do início da criação da vida na terra. Onde o homem ao ser depositado em um belo jardim, limitado a não comer o que não deveria, aconselhado e orientado sob tal proibição, terminou comendo desse fruto proibido. Isso é considerado em sua essência em desobediência, no entanto, pode ser chamado traição, pois o mesmo traiu a confiança que outrora lhe era devida.
Dentre esse, muitos outros aconteceram marcando a história dos nossos antepassados. Destacando assim, alguns que hoje conhecemos através da própria história bíblica, como; a mulher que traiu a confiança de seu amante para descobrir o segredo de sua força sobrenatural; o Rei de Judá que mandou seu submisso para morrer em frente à guerra para que ficasse com sua esposa; outro rei que mesmo sabendo da ilicitude mantinha relações sexuais com a mulher de seu irmão; o homem que traiu Cristo com um beijo, enfim.  
São muitos os casos ocorridos, pois a tal atua de forma crucial e impiedosa para com os seres. Sem medir conhecimentos sobre sua expansão, ela simplesmente age, contrariando desejos, planos de vidas, etc. Transformando o que seria uma bela situação, em uma triste situação. A sua característica é tão forte, que há quem peça a morte, mas não há encontre.
Todos tentam fugir, lutam em busca de melhoras que possam torná-las distantes. Uma recusa, uma completa objeção, pois a sua abrangência é de fato assustadora. Sobretudo, a mesma estar presente nos negócios, nas escolas, faculdades, amizades, famílias, namoros, noivados, casamentos, enfim. Ou seja, para aumentar a sua força e continuar suas ações escrupulosas, ela precisa que o ser humano se relacione, independente de qual seja o seu tipo de relação, porém, que se relacione.
Contudo, ninguém estar ou mesmo estará livre da sua atuação. Quando somos os coadjuvantes da própria, pois todo ser possui os seus princípios e suas características. Seja pouco ou muito, mas possuem. Pelo simples fato de ninguém abaixo de Deus ser confiável. 
No entanto, o fato de todos possuírem na essência os seus princípios, não significa que venham a praticá-la, pois a generalização não faz parte da intenção. Uma vez que muitos passam todos os dias por ela, mas não cedem as suas vontades. Onde o desejo de aderi-la pode estar voltado a várias tentações, como; crescer profissionalmente ocupando o lugar de outrem; busca por melhoras financeiras; viver os “tempos perdidos”, etc.
Outros(a), infelizmente criam situações propositais a ponto de irem ao encontro da mesma, pensando ser bonito seus feitos e efeitos, sabendo o quanto ridículo isso seja. São homens e mulheres – vítimas e réus da suas próprias ações.
Sobretudo, assim mostra o principio bíblico sobre tal realidade, em que a confiança é algo que decerto não pode ser depositada a um ser seja ele (homem/mulher). Pois muitas são as prevenções e conselhos para os tais. Dentre os inúmeros destaquemos o que diz o profeta Jeremias por intermédio de Deus a respeito do homem; 17:5; Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!
Em outras palavras o próprio Deus adverte a humanidade a confiar somente nEle em vez de outro ser.
Como também a respeito da mulher nos é esclarecido em provérbios de Salomão; 
Capitulo 06; Para te guardarem da mulher vil, e das lisonjas da estranha etc.

Percebe-se a intervenção de Deus para com a verdadeira confiança na qual o ser humano deve prestar que é a Ele e não a um homem ou mulher.
Sobretudo, os relacionamentos são compostos sobre tais riscos.  No entanto, independente de se relacionarem ou não, nada justificará uma traição. Pois traição será sempre traição. 

O princípio da lealdade se faz sob um julgo confiável, porém, aqueles que vivem em contra-partida desses termos não passam de  meros traidores - p.c.s.s.

terça-feira, 26 de abril de 2011

O Nascimento




Arquitetura esplêndida, porém, não valorizada

A meados de 4,5 bilhões de anos atrás nascia a maior escultura eterna que já pode existir no universo; o planeta terra. Formado através de ações um tanto amedrontadoras e arrasadoras, no entanto, perfeitas para o seu surgimento e formação.  
Foi de fato, a ação mais importante de toda a história da galáxia, com esplêndidos e magníficos fatores o mesmo se compôs. Através de uma preparação paciente, sobretudo, bem detalhada, maior edificação universal, ou melhor, a maior e mais perfeita de todas as criações estruturais que a humanidade pode hoje ter conhecimento. 
Segundo a ciência, no período no qual dera início esse marco histórico, tudo começa a partir de uma explosão – alguns a encara como a teoria cosmológica do tão famoso big bang - responsável pelo o surgimento do universo. Onde calculam que tais condições iniciais ocorreram por volta de 13,3 a 13,9 bilhões de anos atrás.
Sobretudo, dando ênfase a uma fase esplêndida; a fase do principio universal, onde gigantescas formas físicas passam a dividir o universo. Em plena formação, aumentava-se a sua expansão, pois muitos foram os astros, estrelas e planetas que o ocupavam. Tantos que até aos dias atuais a ciência em plena fase de tecnologia moderna ainda não foi capaz de descobrir os inúmeros outros existentes que de fato ainda não provaram suas existências. São vários, alguns descobertos através de telescópios de grande alcance. Porém, muito nesse ambiente misterioso ainda não foi revelado.
Mas o que se sabe é que algo marcante aconteceu, e a sua prova é toda a galáxia recheado de bilhões de planetas e muitas outras peculiaridades, como as bilhares de estrelas que o completam. Se porventura a ciência e a religião são aliadas ou andam em contrapartida, não convém contestar, o que se deve ser relatado é o fato que realmente algo incomum aconteceu. E todos somos cúmplices desse surgimento, uma vez que somos os maiores beneficiados por tal.
Dentre todas essas maravilhas descobertas e ocultas, vale ressaltar a importância daquela a qual somos devedores, e nada que façamos poderá pagá-la por todos os seus feitos importantes e gratuitos; a terra. Essa maravilha é verdadeiramente a maior e mais bela de todas as obras, pois a mesma ao surgir foi tão delicada em sua formação e transformação que se definiu de forma perfeita. Pois novamente vale lembrar um pouco das explicações da ciência que, através de seus estudos precisos, tem de fato contribuído para as inúmeras perguntas que nos acompanham.
Contudo, para ao mínimo exemplificar o que relata a mesma sobre a formosura desse magnífico planeta em que habitamos. Diz-se, que muito ocorreu para o seu nascimento, como; bombardeios de meteoros para o inicio de sua formação física, assim como a idéia em que foi preciso o surgimento de outra gêmea, na qual teve um papel importante para a evolução da atual. Onde um choque entre ambas foi necessário para o aumento de seu núcleo, pois através dessa ação a mesma absorveu boa parte da outra, que ao mesmo tempo se espalhou pela galáxia tendo outras importâncias para o quadro universal.
Daí por diante, começa um quadro mutante, período esse em que o planeta passou por um processo evolutivo, onde se expandiu em tamanho, e gases se acumularam devido à sua inexplicável temperatura. Gases que outrora desempenharam o maior de todos os papeis nesse processo, dentre ambos, destaca-se o dióxido de carbono CO2 que atuou e atua como um dos principais responsáveis pela vida na atmosfera, pois através dessas ações de levantamento de gases saídos da terra é que surgiu a camada de gases insípidos e incolores, que além de nos proteger, nos permite viver.
Contudo, após os gases liberados pelo mesmo e a formação da camada de ozônio. Houve o período de resfriamento, chuvas que duraram milhões de anos em conjunto com todo o processo natural surgindo os rios, lagos etc. Mas não foi o suficiente para preencher os quase 100% de água existente no mesmo, contudo, com a colisão entre a terra e um gigantesco meteoro de gelo que carregava água internamente, acabou banhando-a completamente, formando o que hoje conhecemos como; oceanos.
Neste ínterim, o mesmo não parou, mas sim continuou o seu processo de formação. Como no caso da pangeia – que segundo a teoria continental era o único território no planeta na era mesozóica durando em média 200 a 540 milhões de anos até que os movimentos das placas tectônicas o separou em partes, formando os continentes, enfim. O mesmo tinha o controle de tudo desde o seu nascimento. Até mesmo os seus movimentos; rotação e translação, onde o próprio gira em torno do seu eixo e em torno do sol, com a função de manter estáveis as estações do ano, a natureza, os dias e noites, entre outros.
No entanto, essa naturalidade que tem trabalhado em pró do benefício do mesmo hoje vê-se ameaçada, pois quantidades absurdas de agressões humanas surgem repentinamente como; gases em grandes proporções lançados à atmosfera, alterando o equilíbrio natural, criando assim um buraco na camada de ozônio.
É de fato um desperdício e incompreensão para com a nossa terra. Pois, foram muitos os fatores responsáveis pelo o nascimento e evolução espetacular da mesma, sendo que todos tiveram o seu papel.
Tudo se pensou, até nas cinco camadas protetoras da terra; Troposfera, Estratosfera, Mesosfera, Termosfera e Exosfera, onde ambas possuem suas funções primordiais para a nossa sobrevivência, desde as condições climáticas, raios solares elevados, desintegrações de meteoritos, entre outros, a nossa proteção.
Sobretudo, a terra é qualificada até como sortuda, pois outros planetas e estrelas participam de seu ciclo como; o Sol que na distância correta ilumina e atua em pró da estabilidade da vida na terra, a lua que dentre suas funções, nos da luz natural todos os dias através do sol, e júpiter com o tamanho 300 vezes maior que a mesma, que atua atraindo para si os gigantescos meteoros que em meados de cada 10 anos o bombardeiam. São meteoros que seguiriam de encontro ao planeta terra, contudo o seu gigantesco campo gravitacional os atraem, são meteoros de aproximadamente o tamanho da própria terra. Onde de fato a mesma não resistiria. Dentre outros com suas importâncias para com a terra.
Ou seja, o nosso planeta é verdadeiramente singular e especial, pois tudo no universo tem conspirado ao seu favor. Portanto, muito se deve ao cuidado para com o mesmo, porque é visto que o universo faz o seu papel para permitir o seu contínuo e prolongado tempo de vida. Porém, a humanidade, maior beneficiária desse trabalho é quem menos tem se mostrado preocupada para com o mesmo. Esquecendo-se que, os verdadeiros necessitados para viver são os próprios. Pois, o planeta tem passado por grandes evoluções desde o seu surgimento que algo a mais talvez não seja o suficiente para abalar a sua estrutura ao ponto de destruí-lo.
Mas e a humanidade? Será que resistirá às proporções de suas ações? Será possível suportar temperaturas elevadas o bastante, capaz de não haver vidas nenhuma? Porque um dia o planeta foi assim; sem forma e vazio, porém, viveu e evoluiu. Já o ser humano é limitado a mínimas situações e necessita do mesmo para sua evolução.  
Se soubéssemos valorizar o que mais temos de precioso, não estaríamos passando por situações tristes e devastadoras como as ocorrentes diariamente através das nossas próprias ações